Pesquisar no Blog

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Fallen - Ride the Sky



Esse esta entre um dos melhores e mais esperados videos entre os ultimos lançados no mercado,skatistas,trilha sonora,estilo de filmagem e edição inovadores,sem meias palavras este é um video quase perfeito.

Skaters
Billy Marks
Brian Hansen
Chris Cole
Gilbert Crockett
James Hardy
Jamie Thomas
Josh Harmony
Matt Bennett
Tommy Sandoval
Tony Cervantes



Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5

Thrasher - Beer Slave (2007)


Esse como todos os videos da Thrasher além de "cabreiros" trazem só os nomes mais "pesados" do skate mundial,skate,cerveja,umas gostosas e muito rock´n roll,tudo o que nós precisamos.

Skaters:Mark Appleyard, Peter Hewitt, Omar Hassan, Chris Haslam, Corey Duffel, Jason Adams, Roberto Aleman, David Gravette, Emmanuel Guzman, Adam Dyet, Julien Stranger, Jake Duncombe, Shane Cross, Sam Hitz, Javier Medizibal, John Rattray, Dennis Busenitz, Angel Ramirez, Tony Trujillo, Frank Gerwer, Arto Saari, and more


Links :
B Parte 1
E Parte 2
E Parte 3
R Parte 4
! Parte 5

The Velvet Underground




Eles falavam sobre,drogas,confusões sentimentais,sexo,opressão espiritual e uma série de futilidades para a maioria dos anos 60,pra minha alegria haha,graças as forças maiores velvet não caiu nas graças dos top of the pops da vida,e se tornando mais uma banda de comercial da coca-cola;
depois de conhecer esta banda,de primeira achei o som chato e muito sem noção"porra isso é uma merda" lembro eu quando ouvi Venus in furs,mais um dia ja havia largado aquele espirito auto-critico da adolescencia e decidi dar uma chance aos que eu condenei a  tempos atraz,foi ai que Velvet se tornou uma paixão na minha vida.
um pouco de ctrl C e ctrl V pra vcs:

Os Velvet Underground foram uma banda de vanguarda na década de 60, caracterizados por um estilo experimental, pouco comercial para a época. A banda tinha como mentor intelectual (e, mais importante, financiador) o artista plástico estadunidense Andy Warhol, que se dizia cansado da pintura e promovia incursões por outros campos artísticos como a música e o cinema.

A inclusão de Nico no VU foi imposta por Andy Warhol, mas ocorreu rejeição e conflito por parte da banda, como uma forma de objeção o nome do album foi “
The Velvet Underground & Nico”, excluindo-a, de certa forma, da banda. Logo após o lançamento do álbum “White Light/White Heat” Andy Warhol foi despedido e Nico foi retirada da banda.

O primeiro disco, 
The Velvet Underground and Nico (1967), notabilizou-se por uma banana na capa (feita por Andy Warhol), e também pelas composições completamente vanguardistas para os padrões da época, tratando de temas como um viciado se encontrando com seu traficante (“TocarI’m Waiting For The Man”), sadomasoquismo (“TocarVenus In Furs”), prostitutas (“There She Goes Again”), e até ocultismo (“TocarThe Black Angel’s Death Song”). As vendas do LP, no entanto, foram pífias, mas existe uma lenda na qual quem o comprou montou uma banda após ouvi-lo - por exemplo, artistas como Iggy PopDavid BowieJoy DivisionSonic YouthThe Jesus and Mary Chain e Nirvana foram influenciados pelo Velvet Underground.

Gravado em poucos dias, “
White Light/White Heat” foi lançado no início de 1968. Após esse álbum (que é mais barulhento e tão ousado quanto o seu antecessor, e conta com clássicos como a faixa-título, “TocarHere She Comes Now” e “TocarSister Ray”), John Cale, responsável pelos experimentalismos musicais, saiu da banda, que passou a ter Lou Reed, de maior apelo artístico e poético, como único líder.

No ano seguinte, veio o 3º álbum, chamado simplesmente de “
The Velvet Underground”. Ele expõe um som mais acústico e introspectivo do que os anteriores, e é recheado de ótimas composições como “TocarCandy Says”, “TocarWhat Goes On”, “Beginning To See The Light”.

O derradeiro trabalho com Lou Reed ainda na banda foi “
Loaded”, que conta com três das músicas mais famosas da banda: “Who Loves the Sun”, “Sweet Jane” e “TocarRock And Roll”. Após a saída do vocalista e guitarrista do Velvet em 71, a banda ainda continuou na ativa pelos dois anos seguintes e até lançou um LP (“Squeeze”), mas o mesmo sequer é considerado parte da discografia oficial da banda.

O ambiente natural de criação e trabalho do VU era a chamada “Factory”, prédio alugado por Warhol e decorado por Billy Name, para reunir seus companheiros exóticos.

Em 1993 o Velvet se reuniu para alguns shows, que culminaram num álbum duplo, “
Live MCMXCIII”, com as principais músicas da carreira da banda.

O VU sempre foi conhecido pelo som alternativo, desvinculado de interesses comerciais e que focalizava quase sempre temas relacionados ao submundo (narcóticos, prostituição, criminalidade, etc). Demoraram anos para serem reconhecidos pelo grande trabalho, o que só prova o quanto a sonoridade deles estava bem à frente de sua época.
















































Procurem tambem o album "Loaded",VU e The Velvet underground,e assim como eu não apenas ouça,mais ame o som desta banda.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

The Smiths


Depois de algumas cervejas pra tentar afastar esse calor infernal que faz aqui em sampa [Aproximadamente 26° e ainda são 03:46 da manhã],lhes trago este post de uma das minhas bandas preferidas,Pelas letras maravilhosas e enigmáticas de Morrisey,a guitarra sem vergonha de Marr,a bateria sistemáticamente perfeita e empolgante de Mike Joyce,e o baixo muito bem tocado por Andy Rourke são apenas umas das qualidades desta quase perfeita banda,quase haha !
Bem para quem se interessa em saber um pouco mais sobre a banda,ai vai um pouco da historia dos Smiths:

Na chuvosa cidade, Steven Patrick Morrissey era apenas um poeta e presidente do fã clube local dos New York Dolls quando conheceu Johnny Marr, que já havia tocado em algumas bandas da cidade. O encontro entre os dois, que já se conheciam de nome, foi arranjado por Steve Pomfret, que levou Marr até a casa de Morrissey. Pomfret tinha certeza que os dois se entenderiam, o que aconteceu de forma espantosa. Pomfret tinha planos de se unir à dupla, mas logo notou que não tinha talento suficiente para isso e desistiu. Os dois tiveram a idéia de compor músicas para oferecer a outros artistas, mas logo desistiram disso e resolveram que o caminho a ser seguido seria o de montar uma nova banda. O passo seguinte era: dar um nome para o grupo. Morrissey escreveu em um pedaço de papel alguns nomes: Smiths, Smithdom e Smiths Family. Marr escolheu Smiths, que, por ser um dos sobrenomes mais comuns da língua inglesa, se encaixava como uma luva para a proposta do grupo, que era de fazer canções simples, falando de pessoas comuns. Existem outras histórias sobre o nome, uma delas fala de uma homenagem a Patty Smith, cantora da qual Morrissey é fã.
Nome escolhido, passaram a fazer alguns testes para bateristas e o escolhido foi Mike Joyce, que havia abandonado sua antiga banda depois de ouvir uma gravação demo dos Smiths, que ainda contava apenas com Morrissey e Marr. Joyce foi escolhido depois de tocar What Difference Does It Make?, dizem que, sob efeito de cogumelos alucinógenos. Já Andy Rourke quase não foi aceito, pois Morrissey quis colocar outro baixista na banda, um conhecido dele, chamado Dale. Marr o pressionou, pois já havia tocado com Rourke em outra banda e conhecia o talento do baixista. No fim das contas, Morrissey foi convencido e Andy Rourke foi o último a ser escalado para a banda. Com a formação completa, a banda fez seu primeiro show em 4 de outubro de 1982.




No início do ano seguinte, com uma demo de Hand in Glove, eles começaram a bater nas portas de algumas gravadoras britânicas, entre elas a EMI inglesa, que rejeitou o trabalho. Por fim, foram contratados pela Rough Trade, gravadora novata que havia iniciado seus trabalhos como uma importadora de discos. Antes disso, os Smiths gravaram uma BBC Sessions, para o programa de John Peel. A banda, no ano de 83, grava mais dois singles, já pela Rough Trade. This Charming Man, o terceiro lançamento da banda, se tornou um sucesso, tornando-se o single mais vendido da então pequena gravadora.




Apesar disso, os Smiths só vieram a lançar seu primeiro disco em fevereiro de 84, o disco chamado apenas The Smiths trazia Reel Around The Fountain, This Charming Man, Hand In Glove, What Difference Does It Make?, entre outras, todas clássicas hoje em dia. Porém, na época o disco não vendeu bem e a banda quase se desfez. Logo após o lançamento deste primeiro disco eles gravaram mais um single, agora com Heaven Knows I´m Miserable Now no lado A e Suffer Little Children no B, e foi justamente este lado B que fez a mídia dar atenção à banda novamente. Graças a este novo gás, saem em uma mini-turnê européia e lançam mais um single, com William, It Was Really Nothing, e a clássica How Soon is Now? no lado B. O grupo passa a ser considerado uma das sensações inglesas e também um dos mais promissores do novo cenário musical e consegue cacife para bancar mais um disco em menos de um ano. Ainda em 84, lançam a compilação Hatful of Hallow. Este trabalho compilava as gravações que a banda fez para a BBC.


Alguns albuns


                                                        Hatful Of Hollow.




 





















Spacemen 3



Spacemen 3 é uma banda de Rugby, Inglaterra , formada em 1982 por Sonic Boom e Jason Pierce. Os dois tocam guitarra e orgão, compartilhando também os vocais. O grupo faz um som meio psicodélico, pegando um pouco daquele dos anos sessenta, com algumas distorções nas guitarras, lembrando um pouco Jesus & Mary Chain.Uma ótima pedida pra quem curte colocar os fones de ouvido  relaxar e viajar em um som fora do comum,escuto com muita frequencia essa banda,vale a pena o download.
  
 

 

The Paddingtons




The Paddingtons são uma banda de rock indie Inglês de Hull, conhecida por seus shows enérgicos e base de fãs leais. Em várias entrevistas baixista Dobbs disse que é devido a sua vontade de tocar em  qualquer local. Entre abril de 2005 e 9 de Novembro de 2006, que tocaram mais de 150 shows, incluindo locais como a praça, Harlow; Jersey Live; Summercase; The Underground, Stoke-on-Trent, T in the Park e no Festivais de Reading e Leeds.

Composta por Tom Atkins (vocalista), Martin Hines (guitarrista), Josh Hubbard (guitarrista) e irmãos Lloyd (baixista) e Grant Dobbs (baterista), eles foram assinadas por Alan McGee para sua gravadora Poptones. Eles feito originalmente o nome de turismo e em torno da área de Hull, em locais como o Clube Welly, o New Adelphi Club, e do pub Railway em Cottingham. Favorecida pelo ex-vocalista do Libertines Pete Doherty, que excursionou com sua banda Babyshambles atual. Seu álbum de estréia, First Comes First, foi produzido por Owen Morris, produtor do Oasis, "Definitely Maybe,o qual vos trago nessa postagem,espero que gostem!!!!!!!!!!!!!!! 




quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ride


Com seu som penetrante e guitarra noise, Ride foi um dos principais expoentes do movimento shoegazer - ao lado do My Bloody Valentine. A banda surgiu em 1988 na cidade de Oxford, Inglaterra, e era composta por Andy Bell( Guitarra, vocal), Mark Gardener(Guitarra, vocal), Loz Colbert (Bateria), Steve Queralt (Baixo).
Após 10 singles e 4 albuns lançados, a banda se separou em 1996.
A banda ainda se reuniu em 2001,para participar de um filme sobre a banda americana Sonic Youth.
Atualmente Andy Bell é baixista da banda Oasis e Mark Gardener terminou o seu projeto chamado Animal House.Ride tambem participou da trilha sonora do filme "Cass" com a faixa

Leave Them All Behind [aqui vai uma prévia da musica,caso prefira conhecer antes de baixar] do album Going Blank Again.
 



 

 

David Bowie - 2 Albuns



Como poderia começar este texto sobre Bowie,Acho que é meio complicado explicar com palavras a admiração que tenho por suas obras musicais,alem tambem pelo fato de ter salvado a carreira de um outro grande idolo meu,Iggy Pop (que breve farei uma postagem especial),e por ter inspirado alguns filmes como o excelente "Velvet Goldmine" de 1998 e pela trilha sonora de um dos filmes mais classicos da adolescencia nos anos 90 "Eu,Christiane F".Por enquanto encerro esta postagem com os 2 albuns aos quais eu venho ouvindo com frequencia e que concerteza voce ira ouvi-los da primeira a ultima faixa tranquilamente,espero que gostem.


obs: o link do filme Velvet Goldmine se encontra no ótimo blog Arapa Rock Motor,o link para o blog deixarei junto ao nome do filme abaixo,e aproveite parar fazer uma tour e buscar aquele filme que procurava a tempos,Boa diversão.




Let's Dance(1983).


Velvet Goldmine - 1998



My Blood Valentine - 2 Albuns




Uma das mais cultuadas bandas britânicas do final dos anos oitenta e começo dos noventa, o My Bloody Valentine gerou até um subgênero no rock, o shoegazing. Bandas como Ride, Lush, Boo Radleys e Chapterhouse surgiram a partir das idéias e da identidade do My Bloody Valentine. Mas a influência foi muito maior, refletindo até em bandas como o Smashing Pumpkins (só para citar um nome consagrado). Gish, o primeiro álbum dos Pumpkins deve muito ao MBV.

Explicando, o termo shoegazing surgiu da postura de palco dos shoegazers, que durante os shows ficavam em seu mundo particular, pouco se importando com a performance de um show ou mesmo qualquer contato com o público. A performance tímida chegava a ponto dos músicos ficarem o tempo todo olhando para baixo sem encarar o público (ou “olhando para os sapatos” e daí shoegazer! Brilhantes os jornalistas ingleses não?). Se limitando a sonoridade, o My Bloody Valentine (e numerosas bandas que se seguiram) era marcada pela distorção, guitarras barulhentas e poderosas onde a instrumentação harmônica torna difícil distinguir cada instrumento, formando um caos sonoro temperado por vocais etéreos e contidos criando um contraste entre o melodias delicadas e o vigor e peso das distorções e efeitos.


Essa mistura tão única rendeu dois álbuns sublimes (Isn’t Anything e Loveless) e alguns EP’s, antes da banda sumir do mapa, sem efetivamente ter anunciado seu final até hoje.